Covid-19: Variantes podem receber nome de constelações quando terminarem as letras do alfabeto grego. OMS preocupada com número de mutações

  • Post author:
  • Post category:Covid-19

O aumento do número de variantes do vírus da Covid-19 tem preocupado os altos responsáveis pela saúde a nível mundial, sendo que a Organização Mundial de Saúde (OMS) já admitiu que quando se esgotar o alfabeto grego, poderão ser utilizados nomes de constelações.

Em entrevista ao ‘Telegraph’, Maria Van Kerkhove, chefe técnica da OMS para a Covid-19, disse que “a agência de saúde da ONU já estava à procura de novos nomes para mutações, temendo que haverá mais variantes do que as 24 letras do alfabeto grego”.

Introduzido no final do mês de maio, este sistema conta atualmente com 11 mutações nomeadas, com quatro variantes mais preocupantes, incluindo delta e beta, e outras de interesse como lambda, épsilon, zeta ou teta.

“Estamos a considerar constelações de estrelas”, sublinhou, acrescentando que a primeira opção recaiu sobre o nome de deuses gregos.

Esta escolha poderá ser anunciada “relativamente rápido”, estando neste momento para aprovação junto do grupo de trabalho de evolução do vírus e da equipa jurídica da OMS.

“É uma ameaça real”, disse o Maria Van Kerkhove ao ‘Telegraph’. “É possível que haja mutações que escapem às nossas contramedidas… e é por isso que é tão importante que não dependamos apenas de vacinas, que façamos todos os possíveis para realmente reduzir a transmissão.”

Mas não são as variantes que incomodam Van Kerkhove, mas sim a “complacência”. “É a noção de que acabou para alguns e não para outros – que os ‘ricos’ podem simplesmente voltar às suas vidas e esquecer os ‘que não têm’”, afirmou.

“Sinto-me incrivelmente frustrada. Estamos nesta situação há 19 meses, sabemos o que fazer, quando e como fazer – simplesmente não temos a vontade coletiva para isso”, acrescentou.

fonte: https://multinews.sapo.pt/atualidade/covid-19-variantes-podem-receber-nome-de-constelacoes-quando-terminarem-as-letras-do-alfabeto-grego-oms-preocupada-com-numero-de-mutacoes/