UE vai doar mais 200 milhões de vacinas contra a covid-19 e Von der Leyen quer lei para combater fraude e evasão fiscal

A União Europeia (UE) quer acelerar a vacinação da covid-19 nos países com baixo rendimento e vai doar mais 200 milhões de doses até meados de 2022, anunciou hoje a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen. “A minha primeira prioridade é acelerar a vacinação nos países de baixo rendimento. Posso anunciar hoje que a Comissão vai acrescentar uma nova doação de mais 200 milhões de doses até meados do próximo ano”, disse, no discurso sobre o Estado da União (SOTEU, na sigla inglesa). A presidente da Comissão Europeia falava no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, no discurso do Estado da União, onde fez o balanço deste ano e projetou as prioridades para 2022. “Trata-se de um investimento na solidariedade e é um investimento também na saúde global”, salientou, perante os eurodeputados. Estes 200 milhões de doses acrescem a 700 milhões que a UE já entregou a mais de 130 países, salientou ainda. A segunda prioridade delineada por Von der Leyen é prosseguir os esforços de vacinação contra a pandemia na UE. “Vemos divergências preocupantes entre os Estados-membros no que respeita às taxas de vacinação e por isso precisamos de manter…

0 Comments

Dos EUA a Israel, estes países já deram “luz verde” ao reforço da vacina contra Covid-19

Desde os EUA a Israel, vários países já começaram a administrar um reforço da vacina contra a Covid-19, sobretudo aos mais vulneráveis e para combater o aumento de casos ligados à variante Delta. Devido à variante Delta, altamente infecciosa e dominante em vários contágios um pouco por todo o mundo, alguns países estão a considerar ou já começaram a oferecer uma dose de reforço da vacina contra a Covid-19. O tema divide os especialistas, mas desde os EUA a Israel, várias nações têm ignorado os apelos da Organização Mundial de Saúde (OMS) para que se adie o reforço vacinal até que pelo menos 10% da população mundial esteja imunizada. “Não podemos, e não devemos, aceitar que países que já usaram a maior parte do stock mundial de vacinas usem ainda mais, enquanto a população mais vulnerável do mundo continua desprotegida”, defendeu o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, no início deste mês. Em Portugal, o Governo tem remetido para a Direção-Geral da Saúde (DGS) a decisão sobre uma dose de reforço contra a Covid-19. Na sexta-feira, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, lembrou ainda que é…

0 Comments

Estes países levantam restrições “para se aprender a conviver com a Covid-19”

Desde a Dinamarca à Austrália, vários países já começaram a levantar as restrições da Covid-19. Países consideram que chegou à altura da população aprender a conviver com o vírus. Dezoito meses depois de o mundo ser assombrado pela pandemia da Covid-19, existem vários países a nível mundial que estão a levantar as restrições porque consideram que está na altura da população “começar a conviver com o vírus”. Este é o caso da Dinamarca, Irlanda, Inglaterra, Austrália e Singapura. O Governo dinamarquês anunciou que vai levantar dia 10 de setembro as últimas restrições impostas no país devido à Covid-19. Esta decisão acontece três semanas antes do que estava previsto inicialmente, avança o The Guardian. “A pandemia está sob controlo. Temos taxas recordes de vacinação. Por isso, podemos eliminar algumas regras que tivemos que adotar para combater o novo coronavírus. O Governo prometeu manter as restrições somente pelo tempo necessário”, afirmou em comunicado o ministro da Saúde, Magnus Heunicke. No entanto, apesar do alívio nas restrições, o governo dinamarquês não hesitará em recuar caso seja necessário. “O país não saiu da pandemia e o Governo não hesitará” em agir rapidamente se o vírus…

0 Comments

COVID-19: A nova variante “Mu” tem mutações preocupantes e a OMS tem-na debaixo de olho

Cientistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) analisam uma nova variante do coronavírus, batizada de "Mu", identificada pela primeira vez em janeiro na Colômbia, informou a entidade. A variante B.1.621, de acordo com a nomenclatura científica, continua classificada como uma "variante de interesse", indicou a OMS no seu boletim epidemiológico semanal sobre a evolução da pandemia, publicado na noite de terça para quarta-feira. A variante tem mutações preocupantes que podem indicar resistência às vacinas e mais estudos serão necessários para entender as suas características, explicou a organização. Todos os vírus, incluindo o SARS-CoV-2, que causa a COVID-19, sofrem mutações com o tempo, e a maioria delas tem pouco ou nenhum impacto nas características do vírus. No entanto, algumas mutações podem afetar as propriedades do vírus e influenciar, por exemplo, a sua capacidade de propagação, a gravidade da doença que causa ou a eficácia de vacinas, medicamentos ou outras medidas para combatê-la. O surgimento em 2020 de variantes que apresentavam risco agravado à saúde pública global levou a OMS a caracterizá-las como "de interesse" ou "preocupantes", a fim de prioritizar as atividades de vigilância e a pesquisa ao nível global. A entidade…

0 Comments

OMS e UNICEF: escolas devem permanecer abertas e professores integrar grupo prioritário de vacinação

Foram 44 de 53 países europeus que decidiram encerrar as suas escolas no auge da primeira onda da pandemia em abril de 2020 e, embora a maioria tenha reaberto em setembro, o aumento das taxas de infeção gerou novas restrições e mais encerramentos em dezenas de países durante o outono e inverno. As escolas em toda a Europa devem permanecer abertas e com medidas de segurança reforçadas para funcionários e crianças, apelam a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Unicef, à medida que se aproxima o inicio de mais um ano letivo e a variante Delta, altamente transmissível, continua dominante no continente. “A pandemia causou a interrupção mais catastrófica da educação da história”, afirmou cita o “The Guardian” as declarações de Hans Kluge, responsável da OMS na Europa, esta segunda-feira. “É vital que a aprendizagem baseada na sala de aula continue ininterrupta.” Kluge referiu que enquanto a pandemia continuar, “educar as crianças com segurança num ambiente de escola física” é de “importância primordial para a educação, saúde mental e habilidades sociais” e deve tornar-se “um objetivo principal” para os governos. Foram 44 de 53 países europeus que decidiram encerrar as…

0 Comments

Covid-19: OMS admite que morram mais de 200 mil pessoas na Europa até dezembro

A Organização Mundial de Saúde relacionou hoje o aumento “muito preocupante” de novos contágios pelo SARS-CoV-2 nas últimas semanas na Europa com baixas taxas de vacinação, admitindo que 236 mil pessoas possam morrer com covid-19 até dezembro. O diretor regional para a Europa da OMS, Hans Kluge, afirmou hoje em conferência de imprensa que “o número de mortes na região aumentou 11% na semana passada, com uma projeção credível a prever 236.000 mortes na Europa até dezembro”. O aumento da incidência de novos casos está também relacionado com uma maior presença da variante Delta, mais contagiosa, o alívio de medidas de restrição de movimentos dos cidadãos e o aumento das viagens, considera a OMS. “Devemos ser firmes e manter as várias linhas de proteção, incluindo a vacinação e as máscaras. As vacinas são o caminho para reabrir as sociedades e estabilizar as economias”, defendeu Hans Kluge. O responsável regional da OMS observou que dos 53 países da região europeia, 33 tiveram um aumento de 10% na incidência de casos de infeção nos últimos 14 dias e em vários há um aumento de internamentos e mortes. Quase metade da população da região…

0 Comments