vaccine, injection, covid-19-5779405.jpg

Qual das vacinas contra a Covid-19 tem maior nível de eficácia a evitar hospitalizações no mundo real, segundo o CDC

Um estudo realizado pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos sobre a eficácia das vacinas da Moderna, da Pfizer e da Johnson verificou que a vacina da Moderna é mais eficaz do que as restantes no que toca a evitar internamentos, distanciando-se em mais de 20% da vacina Janssen, que ocupa o terceiro lugar da lista.

A vacina da Moderna proporciona uma proteção de 93% relativamente a evitar internamentos hospitalares, seguindo-se a da Pfizer-BioNTech com 88% e a Janssen com 71% de eficácia.

O estudo do CDC dos Estados Unidos, divulgado na última sexta-feira, envolveu mais de 3600 adultos hospitalizados com suspeitas de Covid-19, em 21 hospitais norte americanos, entre março e agosto. Destes, 1682 receberam resultados positivos no teste à Covid-19, enquanto os outros foram considerados grupo de controlo. 

“Entre os adultos dos EUA sem condições imunocomprometedoras, a eficácia da vacina contra a hospitalização por Covid-19 durante 11 de março a 15 de agosto de 2021 foi maior para a vacina Moderna (93%) do que a vacina Pfizer-BioNTech (88%) e a vacina Janssen (71 %)”, pode ler-se no relatório semanal do CDC sobre morte e doença.

A maioria dos participantes – 64% – não foi vacinada. Quase 13% foram totalmente vacinados com a vacina Moderna, 20% foram totalmente vacinados com a injeção Pfizer e 3,1% foram totalmente vacinados com a dose única da Johnson & Johnson. 

A maior diferença identificada entre a vacina da Moderna e a vacina da Pfizer-BioNtech tornou-se evidente quando surgiu um declínio cerca de quatro meses após as pessoas estarem totalmente inoculadas com a vacina da Pfizer.

“As diferenças de eficácia entre as vacinas da Moderna e da Pfizer podem dever-se ao conteúdo de mRNA mais elevado na da Moderna, ao intervalo diferente entre as duas doses de cada uma ou a possíveis diferenças entre os grupos que receberam cada vacina e que não foram tidas em conta na análise”, acrescentou o relatório.

De acordo com os dados “a eficácia da vacina da Pfizer-BioNTech foi de 91% em 14-120 dias após o recebimento da segunda dose, mas caiu significativamente para 77% após 120 dias”. Já a eficácia da vacina entre os que receberam a Moderna atingiu 93% entre 14 a 120 dias após a segunda dose, percentagem que caiu ligeiramente para 92% após o mesmo período de tempo.

Tanto as vacinas da Pfizer como da Moderna usam material genético chamado RNA mensageiro para fornecer imunidade, mas usam doses e formulações ligeiramente diferentes. A vacina Janssen, por outro lado, usa um vírus inativado da gripe comum chamado adenovírus – um vetor viral – para transportar instruções genéticas.

“Uma única dose da vacina de vetor viral Janssen teve comparativamente menor resposta de anticorpos anti-SARS-CoV-2 e eficácia da vacina contra hospitalizações por Covid-19”, disse a equipa do CDC.

O CDC também analisou os anticorpos presentes no sangue de 100 voluntários saudáveis ​​após duas a seis semanas de terem sido vacinados com uma das três vacinas disponíveis e encontrou níveis de anticorpos anti-RBD mais elevados na vacina Moderna do que nos outros dois produtos. A quantidade de anticorpos IgG foi semelhante nos recipientes das vacinas Moderna e Pfizer, que foram maiores do que os recipientes da Johnson & Johnson.

Segundo o estudo, os “dados do mundo real sugerem que os regimes de vacina de mRNA de duas doses Moderna e Pfizer-BioNTech fornecem mais proteção do que o regime de vacina de vetor viral Janssen de uma dose. Embora a vacina Janssen tenha menor eficácia observada, uma dose da vacina Janssen ainda reduziu o risco de hospitalização associada à Covid-19 em 71 por cento”.

Apesar de o estudo ter algumas limitações, como o facto de crianças e adultos imunocomprometidos não terem sido analisadas, as conclusões e dados obtidos, sobre a eficácia das vacinas, podem ajudar nas recomendações de políticas sobre doses de reforço e garantem que apesar de alguma variação nos níveis de proteção de cada vacina, todas as vacinas Covid-19 aprovadas ou autorizadas pela agência Food and Drug Administration fornecem proteção substancial contra a hospitalização por Covid-19.

fonte: https://visao.sapo.pt/visaosaude/2021-09-21-qual-das-vacinas-contra-a-covid-19-tem-maior-nivel-de-eficacia-a-evitar-hospitalizacoes-no-mundo-real-segundo-o-cdc/

admin

Web Designer da Empresa GBC-BEAM.