Certificados de vacinação falsos podem custar 150 euros em Portugal

Há cada vez mais anúncios para a venda de certificados de vacinação falsos, com grupos do Telegram a chegaram aos 300 mil membros. Segundo a Check Point Technologies, o mercado negro para a venda de certificados falsos de vacinação está com um crescimento exponencial. A especialista em cibersegurança diz que tanto o número de anunciantes como subscritores dispararam, tendo multiplicado 10 e 12 vezes, respetivamente. E em Portugal já se encontra documentos falsos por volta dos 150 euros. A especialista alerta ainda para as novas técnicas de venda, que utilizam bots para criar certificados “on demand”. A Check Point diz que o certificado de vacinação falso expandiu-se para 29 países, com estreia de Portugal na lista, juntamente com a Áustria, Brasil, Letónia, Lituânia, Malta, Singapura, Tailândia e Emirados Árabes Unidos. Em agosto, a especialista tinha identificado 1.000 anunciantes no Telegram, mas atualmente diz que existem 10 mil utilizadores a oferecer a venda de certificados de vacinação falsos. O crescimento da oferta justifica-se pelo aumento da procura, que na rede social Telegram os vendedores organizam-se em grupos. Diz que recentemente houve uma aceleração do número de subscritores, com alguns grupos a chegarem…

0 Comments

PSP diz que está atenta a ameaças de grupos negacionistas e antivacinas

A PSP está atenta à escalada de tensão por grupos negacionistas e anti-vacinas covid-19, adiantou hoje o porta-voz do Comando Nacional da Polícia, que vincou que a situação está a ser integrada na avaliação de risco. “É público que a postura deste grupo de cidadãos que se afirmam como negacionistas tem vindo a ser alterada e é algo que nós integramos na avaliação das medidas de segurança. Consoante a evolução da situação, estamos permanentemente a monitorizar a eficácia das medidas que estão implementadas no sentido de garantir que são as necessárias ou se se justificam outras ou até mais medidas”, disse à Lusa o intendente Nuno Carocha. Sem querer comentar o reforço de segurança de qualquer pessoa em particular, o porta-voz da PSP disse que as autoridades têm tido “uma postura assertiva” perante estes grupos de cidadãos em todos os eventos, “sem colidir com o usufruto desse direito constitucional” de se reunirem e manifestarem publicamente. O Expresso publicou hoje que as autoridades estariam a planear um reforço da segurança de alguns políticos, nomeadamente ministros, face aos recentes incidentes que envolveram o coordenador da ‘task force’ da vacinação, vice-almirante Gouveia e Melo…

0 Comments

Vacinas por via intranasal, uma nova linha de combate contra a Covid-19 e que pode reduzir a transmissão

Uma nova linha de combate contra a Covid-19 surge no horizonte: as vacinas por via intranasal, um método promissor nos testes animais, mas que ainda precisa de ser confirmado entre seres humanos. Os dados preliminares apontam para um elevado nível de proteção e uma maior capacidade de reduzir a transmissão do que as vacinas já disponíveis. Os testes clínicos em animais na França estão a apresentar resultados, a tal ponto que dois organismos públicos, o Inrae e a Universidade de Tours, apresentaram um pedido de patente para um modelo. A diretora da equipa de pesquisa BioMAP da universidade, Isabelle Dimier-Poisson, afirmou que os testes em ratos apresentaram "100% de sobrevivência" nos exemplares vacinados desta forma e depois infectados com a covid-19. Todos os ratos não vacinados faleceram, informou a cientista. "Os animais vacinados estão 100% protegidos contra as formas sintomáticas e, a princípio, contra as formas graves do vírus. E como têm carga viral muito reduzida, deixam de ser contagiosos, o que é um dos aspectos interessantes da via nasal", destacou Philippe Mauguin, presidente do Inrae, um instituto de investigação. Num artigo publicado em julho na revista Science, os cientistas Frances…

0 Comments

Idosos com queda abrupta de anticorpos quatro meses após vacinação

Um estudo divulgado esta quinta-feira verificou que há uma diminuição substancial de anticorpos em pessoas com mais de 70 anos quatro meses após a toma da segunda dose da vacina contra a Covid-19. A imunidade conferida pela vacina contra a Covid-19 em pessoas a partir dos 70 anos diminui de forma acentuada quatro meses após a segunda dose. Os dados são de um estudo divulgado esta quinta-feira pelo Algarve Biomedical Center (ABC) e pela Fundação Champalimaud, citados pelo Público. Na amostra analisada, que teve a participação de 5.174 pessoas — 2.303 funcionários de estruturas residenciais para idosos (ERPI) do Algarve e Alentejo e 2.871 funcionários –, a presença de anticorpos em funcionários foi de 78,6% e em utentes de 46,2%, sendo que as análises foram realizadas na segunda semana de agosto. O estudo verificou que o número de anticorpos decresce substancialmente ao quarto mês após a vacinação completa, uma quebra mais acentuada nos utentes mais velhos (de 89% para 48%). Nos trabalhadores, os anticorpos diminuem de perto dos 90% para 80%. “A partir dos quatro meses acentua-se a diferença entre os funcionários e os utentes, mantendo-se a taxa de anticorpos estável…

0 Comments

Covid-19: certificado de vacinação pode deixar de ser obrigatório em alguns locais

Esta pode ser uma das medidas que vai sair do encontro desta quinta-feira, 16 de setembro, no Infarmed. O certificado de vacinação pode deixar de ser obrigatório para entrar em alguns locais. A convicção, partilhada à Renascença por Gustavo Tato Borges, o presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública (AMSP), pode ser uma das novas medidas que vão sair do encontro desta quinta-feira, 16 de setembro, no Infarmed. “Também me chegou aos ouvidos o fim da obrigatoriedade da apresentação do certificado de vacinação, de testagem ou de recuperação para acesso a alguns locais, o que, tendo em conta a elevada cobertura vacinal em Portugal, esta medida de controlo e vigilância deixa de fazer sentido”, revelou à emissora Gustavo Tato Borges, que antecipa algumas das informações que podem mesmo sair do encontro no Infarmed. Para além do fim da obrigatoriedade na apresentação de certificado de vacinação da Covid-19, o presidente da AMSP afirma também que a próxima fase de desconfinamento terá, em princípio, uma “abertura progressivamente maior”, nomeadamente em locais como “estádios de futebol, espaços de dança ou bares”. Ainda segundo as mesmas declarações à “Renascença”, Gustavo Tato Borges vem contrariar…

0 Comments
Vacina da gripe é grátis a partir dos 65 anos.
Vacina da gripe é grátis a partir dos 65 anos.

Já pode fazer reserva nas farmácias para a vacina da gripe

Especialistas acreditam que a gripe voltará com mais força este ano. A partir desta quinta-feira, 16 de setembro, já é possível começar a fazer reservas nas farmácias para a vacina da gripe. A informação é avançada pelo “JN”, que adianta que estarão disponíveis 700 mil vacinas para venda ao público. A vacina da gripe volta a ser gratuita para a população a partir dos 65 anos de idade, sendo que as farmácias irão colaborar com centros de saúde no processo de administração das vacinas. Este ano é expectável que a gripo volte a surgir com maior força no País. Gustavo Tato Borges, presidente em exercício da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública (ANMSP), já salientara à NiT que “a gripe vai voltar este ano a ser uma parte importante do inverno”. Na prática. o fim de certas restrições e cuidados que têm funcionado para contrariar a propagação da pandemia, como o uso de máscaras e o distanciamento social, contribuem também para o combate à gripe. A vacina tem por isso um papel importante mas não o único. “Se não houver adesão das pessoas para a utilização das máscaras, para os…

0 Comments

Covid-19: Proteção da vacina da Moderna diminui com o tempo e devem ser precisas doses de reforço, aponta estudo

Novos dados do grande ensaio clínico da Moderna mostram que a proteção da sua vacina contra a Covid-19 diminui com o tempo, devendo ser necessárias doses de reforço, disse a empresa em comunicado, avançado pela ‘Reuters’. “Esta é apenas uma estimativa, mas acreditamos que isso significa que, à medida que olhamos para o outono e inverno, o impacto da diminuição da imunidade resulte em 600 mil casos adicionais de Covid-19”, disse o presidente da Moderna, Stephen Hoge, em conferência de imprensa. Hoge não projetou quantos dos casos seriam graves, mas disse que alguns exigiriam hospitalização. Segundo o responsável, o desempenho inicial da vacina é forte, mas a proteção pode diminuir. “Os primeiros meses são ótimos, mas não podemos contar que isso se mantenha por um ano ou mais”, afirmou. A análise desta quarta-feira mostrou taxas mais altas de infeção nas pessoas vacinadas há cerca de 13 meses, em comparação com as vacinadas há cerca de oito meses. O período de estudo foi de julho a agosto, quando a Delta foi a variante predominante. Hoge disse que os dados dos seus estudos de reforço mostram que uma terceira dose da vacina pode…

0 Comments

Covid-19: Pedidos de objeções religiosas aumentam nos EUA para evitar vacinação

Cerca de 3.000 funcionários do Departamento de Polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos, estão a citar objeções religiosas para não serem vacinados contra a covid-19, segundo a agência Associated Press (AP). Também em Washington, milhares de trabalhadores do Estado procuram isenções semelhantes para não serem vacinados, refere a AP, adiantando ainda que um hospital do Arkansas tem sido inundado com pedidos de funcionários que aparentemente estão a fazer ‘bluff’. As objeções religiosas, outrora usadas com moderação em todo o país para evitar tomar as várias vacinas necessárias, estão a tornar-se um argumento muito mais utilizado pelos norte-americanos para se escusarem a receber a vacina contra a covid-19. A administração do presidente dos EUA, Joe Biden, reconhece que uma pequena minoria de americanos usará – e alguns podem tentar explorar – isenções religiosas, mas disse acreditar que mesmo melhorias marginais nos níveis de vacinação salvarão vidas. Segundo a AP, ainda não é claro quantos funcionários federais pediram uma isenção religiosa, mas as intenções aumentam à medida que os mandatos da vacina aumentam. Na passada quinta-feira, O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ordenou a vacinação obrigatória contra a covid-19 para todos…

0 Comments

Especialistas vão propor o fim das medidas obrigatórias na reunião no Infarmed

Equipa responsável pelo plano de desconfinamento quer acabar com todas as medidas obrigatórias contra a pandemia. A notícia é avançada esta quarta-feira pelo semanário Expresso. Especialistas preferiram não ser identificados. Proposta será apresentada na próxima reunião do Infarmed. De acordo com a publicação, os especialistas acreditam que chegou “o momento de levantar a generalidade das restrições” — entre elas a utilização de máscaras, certificados digitais, lotações de espaços ou a higienização das mãos. A reunião desta quinta-feira, prevista para as 15:00, decorrerá em formato “semipresencial”. No Infarmed, escreve o Expresso, os peritos vão defender que “não há necessidade de manter medidas obrigatórias seja onde for”, mas sim “reeducar a população para a autoavaliação do risco, deixando os comportamentos ao critério de cada um”. O fim de todas as restrições nas escolas e nos transportes públicos é a única matéria ainda em dúvida para os especialistas. "Com toda a certeza, vão surgir posições mais conservadoras, desde logo da Direção-Geral da Saúde, mas é preciso que todos entendam que Portugal está em condições ideais para fazer o regresso à normalidade", apresentam os peritos. Portugal está prestes a atingir a meta de 85% da…

0 Comments

Gouveia e Melo: “Nós já ganhámos a este vírus”

O responsável pela ‘task-force’ que coordena o programa de vacinas contra a covid-19, vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, assumiu hoje que Portugal “já ganhou a este vírus”. “Nós já ganhámos a este vírus, pelo menos, a primeira batalha está ganha e isso é um grande alívio para todos nós”, assumiu hoje o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo em Viseu, na cerimónia de abertura da Escola secundária Alves Martins, onde estudou com 15 anos. À margem da cerimónia, justificou aos jornalistas que a batalha está ganha, “porque a incidência está a cair apesar do estado de desconfinamento” em que o país se encontra, já depois do período de férias e da presença de estrangeiros. “O processo de vacinação venceu o vírus e agora temos de começar a aprender a reganhar a nossa liberdade e a nossa vida. É isso que temos de fazer, claro que com alguns cuidados. Temos de ser inteligentes, também não podemos ser descuidados”, alertou. Com a taxa de vacinação a atingir “quase os 86% das primeiras doses”, sendo que “normalmente um mês depois atinge-se o mesmo em termos de segunda dose ou vacinação completa”, o vice-almirante disse estar…

0 Comments