mask, surgical mask, virus-4898571.jpg

COVID-19: Mais 13 mortos e 2.261 infetados em 24 horas. Internamentos baixam

  • Post author:
  • Post category:Covid-19

Desde o início da pandemia, morreram pelo menos 17.658 pessoas com COVID-19 em Portugal. Os números foram revelados esta terça-feira no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal regista esta terça-feira mais 2.261 casos de COVID-19 e 13 óbitos associados à doença, segundo o último relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado hoje.

Desde o início da pandemia, morreram 17.658 pessoas com esta patologia em território nacional e foram identificados 1.022.807 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2.

De acordo com o último relatório oficial, registaram-se mais 3.610 casos de recuperação nas últimas 24 horas. Ao todo há 960.969 doentes recuperados da doença em Portugal desde março de 2020.

A região Norte é a área do país com mais novas notificações, num total de 35% dos diagnósticos.

O relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24h00 de ontem, indica que a região de Lisboa e Vale do Tejo é a que regista o maior número de mortes acumuladas relacionadas com o vírus SARS-CoV-2 com 7.554 (+3), seguida do Norte com 5.489 óbitos (+5), Centro (3.075, +2) e Alentejo (1.004, =). Pelo menos 424 (+3) mortos foram registados no Algarve.

Há 40 (=) mortes contabilizadas nos Açores. Na Madeira registam-se 72 óbitos (=) associados à doença.

Internamentos a descer

Em todo o território nacional, há 716 doentes internados, menos 17 do que ontem, e 148 em unidades de cuidados intensivos (UCI), menos três do que no dia anterior.

De acordo com o boletim da DGS sobre a situação epidemiológica, existem 44.180 casos ativos da infeção em Portugal — menos 1.362 do que ontem — e 47.576 pessoas em vigilância pelas autoridades — menos 1.369 do que no dia anterior.

Imagem do boletim da DGS
Imagem do boletim da DGS

A região de Lisboa e Vale do Tejo é a área do país com maior número de infeções acumuladas, com 398.166 (+684), seguida da região Norte (393.887, +792), da região Centro (136.134, +363), do Alentejo (36.387, +216) e do Algarve (38.270, +161).

Nos Açores existem 8.440 casos contabilizados (+13) e na Madeira 11.523 (+32).

O que nos diz a matriz de risco?

Portugal apresenta uma incidência de 310,4 casos de infeção por SARS-CoV-2/COVID-19 por cada 100.000 habitantes e um índice médio de transmissibilidade R(t) nacional de 0,98.

No território continental, o R(t) também se mantém nos 0,98. A DGS atualiza estes dados à segundas, quartas e sexta-feiras.

Matriz de risco da DGS
Matriz de risco da DGS

Faixas etárias mais afetadas

O maior número de óbitos concentra-se entre as pessoas com mais de 80 anos, com 11.536 (+9) registadas desde o início da pandemia, seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (3.784, +1), entre 60 e 69 anos (1.602, +2) entre 50 e 59 anos (500, +1), 40 e 49 anos (172, =) e entre 30 e 39 anos (46, =). Há ainda 13 mortes (=) registadas entre os 20 e os 29 anos, duas (=) entre os 10 e os 19 anos e três (=) entre os 0 e os 9 anos.

Os dados indicam que, do total das vítimas mortais, 9.273 são do sexo masculino e 8.385 do feminino.

A faixa etária entre os 40 e os 49 anos é a que tem maior incidência de casos, contabilizando-se um total de 165.644 (+275), seguida da faixa etária dos 20 aos 29 anos, com 164.798 infeções (+566), e da faixa etária dos 30 aos 39 anos, com 151.169 casos (+278). Logo depois, surge a faixa etária entre os 50 e os 59 anos, com 141.104 infeções reportadas (+200). A faixa etária entre os 10 e os 19 anos tem 107.788 (+467) e entre os 60 e os 69 anos soma 95.494 (+132).

Desde o início da pandemia, houve 471.325 homens infetados e 550.757 mulheres, sendo que se desconhece o género de 725 pessoas.

A COVID-19, causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, é uma infeção respiratória aguda que pode desencadear uma pneumonia.

A doença é transmitida por um novo vírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Balanço mundial

A pandemia de COVID-19 matou, até hoje, pelo menos 4.439.888 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP com base em fontes oficiais. Mais de 212.428.950 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Na segunda-feira, 8.632 novas mortes e 652.192 novos casos foram registados em todo o mundo. Os países que registaram o maior número de novas mortes em seus levantamentos mais recentes são a Indonésia, com 1.038 novas mortes, os Estados Unidos (879) e a Rússia (794).

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 629.411 mortes para 37.939.681 casos, de acordo com o levantamento realizado pela universidade norte-americana Johns Hopkins. Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 574.848 mortes e 20.583.994 casos, a Índia com 435.110 mortes (32.474.773 casos), o México com 253.526 mortes (3.231.616 casos) e o Peru com 197.921 mortes (2.142.565 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 600 mortes por 100.000 habitantes, seguido pela Hungria (311), Bósnia-Herzegovina (297), República Checa (284), Macedónia do Norte (273) e Brasil (270).

A América Latina e o Caribe totalizaram hoje 1.423.467 mortes para 42.721.079 casos, a Europa 1.235.684 mortes (61.945.581 casos), a Ásia 757.373 mortes (48.873.438 casos), os Estados Unidos e Canadá 656.204 mortes (39.409.549 casos), a África 189.939 mortes (7.563.784 casos), o Médio Oriente 175.575 mortes (11.805.855 casos) e a Oceânia 1.646 mortes (109.664 casos).

fonte: https://lifestyle.sapo.pt/saude/noticias-saude/artigos/covid-19-mais-13-mortos-e-2-261-infetados-em-24-horas