COVID-19: Ministra da Saúde alerta que a máscara não é para deitar fora

A ministra da Saúde, Marta Temido, alertou hoje que a máscara deve ser mantida em espaços fechados ou onde não seja possível manter o distanciamento aconselhável, seguindo a recomendação dos próprios peritos. “A recomendação que nos deixaram [na reunião do Infarmed de quinta-feira] foi a avaliação do risco pessoal e organizacional, mas no sentido de utilização de máscara em recinto fechado e em contexto onde não é possível manter outras medidas de distanciamento, embora se possa recorrer em espaços fechados a acrílicos ou outros dispositivos de barreira”, afirmou a ministra, quando questionada pelos jornalistas no Porto. Marta Temido deu hoje como praticamente certo o encerramento de centros de vacinação, tal como existem atualmente, “se o cenário se se mantiver”. “Se o cenário se se mantiver, vamos começar a vacinação contra a gripe sazonal a partir de 04 de outubro e teremos que continuar a vacinar pessoas [contra a covid] que ainda não o fizeram. Para esse cenário, podemos extinguir os centros de vacinação que foram montados para a covid-19. Para o caso de ser necessário fazer vacinação adicional contra a covid-19, dependendo do que sejam os universos elegíveis, podemos ter necessidade…

0 Comments

Covid-19: certificado de vacinação pode deixar de ser obrigatório em alguns locais

Esta pode ser uma das medidas que vai sair do encontro desta quinta-feira, 16 de setembro, no Infarmed. O certificado de vacinação pode deixar de ser obrigatório para entrar em alguns locais. A convicção, partilhada à Renascença por Gustavo Tato Borges, o presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública (AMSP), pode ser uma das novas medidas que vão sair do encontro desta quinta-feira, 16 de setembro, no Infarmed. “Também me chegou aos ouvidos o fim da obrigatoriedade da apresentação do certificado de vacinação, de testagem ou de recuperação para acesso a alguns locais, o que, tendo em conta a elevada cobertura vacinal em Portugal, esta medida de controlo e vigilância deixa de fazer sentido”, revelou à emissora Gustavo Tato Borges, que antecipa algumas das informações que podem mesmo sair do encontro no Infarmed. Para além do fim da obrigatoriedade na apresentação de certificado de vacinação da Covid-19, o presidente da AMSP afirma também que a próxima fase de desconfinamento terá, em princípio, uma “abertura progressivamente maior”, nomeadamente em locais como “estádios de futebol, espaços de dança ou bares”. Ainda segundo as mesmas declarações à “Renascença”, Gustavo Tato Borges vem contrariar…

0 Comments

Quais os próximos passos no combate à pandemia? Reunião do Infarmed deve mostrar “a melhor situação” até agora

Especialistas e políticos voltam hoje a juntar-se no Infarmed, em Lisboa, para acompanhar a evolução da situação epidemiológica da covid-19 em Portugal, num contexto que o Presidente da República classifica como a “melhor situação” em “ano e meio”. A reunião, prevista para as 15:00, decorrerá em formato “semipresencial”, depois de a 9 de julho, o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa, terem estado na sede do Infarmed. Como tem sido habitual, a ministra da Saúde, Marta Temido, e grande parte dos especialistas estarão presentes e, desta vez, os diferentes partidos com assento parlamentar poderão enviar um elemento à reunião. Os restantes acompanharão os trabalhos por videoconferência. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse na quarta-feira estar feliz por participar na reunião do Infarmed com “a melhor situação" relativa à pandemia "em ano e meio”. Marcelo Rebelo de Sousa admitiu que costumava “ir sempre com o coração pequeno – e às vezes pequeníssimo – para as reuniões do Infarmed, tais os números de casos, tais os números de internamentos em cuidados intensivos e tais os números…

0 Comments

Máscaras em espaços fechados vão continuar a ser obrigatórias

Fonte governamental disse ao Público que “a máscara em espaços fechados é para manter” e que a terceira fase de desconfinamento não será “uma passagem do preto para o branco". O uso de máscaras em espaços fechados deverá continuar a ser obrigatório. O Governo quer manter essa obrigatoriedade apesar de o país estar à beira de entrar na terceira fase de desconfinamento, assim que 85% da população estiver vacinada. Será no Conselho de Ministros de dia 23 que a decisão será tomada, avança o Público (acesso condicionado) esta quinta-feira. O Executivo pretende garantir uma transição gradual no alívio das regras sem decretar “libertações totais” ou radicalismos. Fonte governamental disse ao Público que “a máscara em espaços fechados é para manter” e que a terceira fase de desconfinamento não será “uma passagem do preto para o branco, nem ligar ou desligar um interruptor”. Esta quinta-feira políticos e especialistas voltam a reunir-se no Infarmed para analisar a evolução da pandemia. A semana passada, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, adiantou que neste encontro seria debatido o novo patamar do processo de desconfinamento, num momento em que o país…

0 Comments

Pandemia perto de estar “controlada” mas “as nossas vidas vão ter de continuar a ser diferentes”, alerta Costa

O primeiro-ministro, António Costa, voltou a mostrar-se otimista em relação à evolução da pandemia em Portugal, mas ao mesmo tempo cauteloso. Em declarações aos jornalistas numa visita ao Agrupamento de Escolas Dona Filipa de Lencastre, o responsável começou por deixar “uma palavra de agradecimento, agora que estamos a chegar à fase em que, graças à vacinação, podemos começar a encarar a pandemia como estando controlada”. Costa agradeceu a “todas e todos aqueles que não deixaram a escola parar, mesmo quando a escola teve fisicamente de encerrar para podermos controlar a pandemia”, disse sublinhando que apesar dos “momentos muito difíceis, houve um esforço extraordinário para que a escola não abandonasse os seus alunos”. “Foi um esforço muito grande dos professores, foi um esforço muito grande das famílias, dos alunos, do pessoal auxiliar. E queria agradecer profundamente, neste momento em que se avizinha que podemos estar definitivamente num ponto de viragem e podemos ter, finalmente, um ano letivo que podemos encarar com a confiança de poder começar e durar sem sobressaltos”, disse o governante. Apesar do otimismo, o primeiro-ministro deixou um aviso: “Hoje não é só o primeiro dia do resto das nossas…

0 Comments

COVID-19: Portugal é o país com mais população totalmente vacinada em todo o mundo

Portugal ultrapassou Malta e é agora o país com maior percentagem de população com a vacinação completa em todo o mundo, segundo dados do Our World in Data (OWiD), da Universidade de Oxford. Pelo menos, 81,10% dos portugueses já estão completamente imunizados. Os dados do portal OWiD colocam Portugal à frente de Malta na lista de países mais vacinados do mundo na luta contra a COVID-19. Malta contabiliza até ao momento 80,91% da população totalmente vacinada. Os Emirados Árabes Unidos (EAU) seguem em terceiro lugar do ranking, com 78,50% da população completamente imunizada. Os EAU são também o país com a maior percentagem de população com pelo menos uma dose (89,59%). Nessa lista, Portugal surge em segundo lugar com 86,85%. Mais de metade dos jovens entre os 12 e os 17 anos e todos os idosos acima dos 65 anos já têm vacinação completa contra a covid-19, anunciou a Direção-Geral da Saúde (DGS). Em Portugal, mais de metade dos jovens entre os 12 e os 17 anos e todos os idosos acima dos 65 anos já têm vacinação completa contra a COVID-19, anunciou ontem a Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o…

0 Comments

Regresso à escola: quais as infeções mais frequentes, o que fazer e como prevenir?

Como o regresso às aulas, podem surgir as infeções virais. Saiba como reagir com os conselhos da médica Marta Chambel, especialista em Imunoalergologia. O início da escola, sobretudo nos mais pequenos que vão pela primeira vez para o infantário ou creche, é muitas vezes marcado por episódios de infeções. Saiba como reagir. Na maioria das vezes as infeções são de origem viral, não são graves e têm duração inferior a uma semana. O principal problema em muitas crianças e famílias é o facto das infeções serem muito frequentes, obrigando a que a criança falte à escola e a mãe/pai falte também ao trabalho. No regresso à escola, as infeções virais mais frequentes em idade pediátrica são as seguintes: Otite: dor no ouvido e febre. Nos bebés e crianças mais pequenas pode causar apenas irritabilidade e recusa em alimentar-se.Rinofaringite (vulgo constipação): nariz entupido, pingo no nariz, olhos vermelhos. Pode existir febre. Os sintomas agravam nos primeiros 3 dias e depois começam a melhorar.Amigdalite: dor de garganta e febre, que pode ser muito alta.Laringite: dor de garganta e a famosa tosse de cão (tosse rouca).Bronquiolite: tosse seca, dificuldade em respirar, respiração muito acelerada,…

0 Comments

Das máscaras ao isolamento, as regras para mais um ano letivo marcado pela pandemia

As máscaras voltam a fazer parte do dia-a-dia, os rastreios foram alargados e as regras de isolamento são mais flexíveis. Seis respostas sobre o novo ano letivo, uma vez mais marcado pela pandemia. Esta terça-feira milhares de alunos portugueses voltam às escolas, neste que é o terceiro ano letivo condicionado pela pandemia. Para este ano, não há grandes mudanças, com as máscaras a voltarem a fazer parte do dia-a-dia dos estabelecimentos de ensino. Não obstante, haverá regras mais flexíveis para o isolamento das turmas e os rastreios foram alargados, passando a abranger também os alunos do 3º ciclo do ensino básico. O ECO preparou uma guia com seis perguntas e respostas sobre as regras a cumprir em contexto de pandemia neste novo ano letivo. O uso de máscara é obrigatório para todos os alunos? Não. Para este ano letivo, que arranca entre esta terça-feira e sexta-feira, o uso de máscara é obrigatório para todos os alunos a partir dos dez anos, sendo que estes podem optar por utilizar uma máscara comunitária certificada ou uma máscara cirúrgica. Ainda assim, segundo o Referencial para as Escolas divulgado pela Direção-Geral de Saúde (DGS), o…

0 Comments

Primeiro dia sem máscara: Portugueses não notam “grande diferença”

DGS relembra que é recomendado usar máscara “quando é previsível a ocorrência de aglomerados”. Ao fim de 318 dias já é possível sair à rua sem usar máscara, no entanto, os portugueses afirmam não ter notado “uma grande diferença” relativamente aos meses que passaram. O fim da obrigatoriedade do uso da máscara em espaços exteriores é ditado pela data em que caduca o último diploma aprovado pelo Parlamento e promulgado pelo Presidente da República, - a 11 de junho e por um período de 90 dias – não tendo a Assembleia da República proposto a sua renovação. Este diploma foi renovado por três vezes. Paulo Teixeira afirma ao i que, no primeiro dia em que não é obrigatório o uso de máscara no exterior, não viu “nada de diferente, uma vez que havia muitas pessoas que já andavam sem máscara”. O encarregado de obra de 53 anos e residente no Seixal adianta ainda que vai continuar “a usar máscara na rua, todas as vezes que sinta que o ambiente está desconfortável” ou que está “no meio de um aglomerado de gente”. Com mais de 85% da população com pelo menos uma…

0 Comments

Covid-19: Madeira vai recomendar uso de máscara no exterior

O presidente do Governo da Madeira considerou hoje "incompreensível" a eventual alteração da legislação nacional sobre obrigatoriedade do uso da máscara para prevenir a covid-19, anunciando uma recomendação regional para que a medida se mantenha no arquipélago. Miguel Albuquerque falava à margem da inauguração de um empreendimento imobiliário no Funchal que representou um investimento na ordem dos 26 milhões de euros. O chefe do executivo regional de coligação PSD/CDS salientou que depois de serem “auscultadas” as autoridades de saúde da Madeira, o executivo madeirense decidiu “adotar uma recomendação regional de manutenção do uso da máscara no exterior em qualquer circunstância no sentido de preservar e prevenir a propagação do covid-19”. O governante madeirense argumentou que esta decisão acontece porque a lei sobre esta matéria “vai ser alterada na Assembleia da República” e a região não tem competência para legislar em matéria de Direitos, Liberdades e Garantias. “Nós dissemos que íamos manter todas as medidas até alcançarmos os 85% da vacinação completa da população e mesmo os 85% não é uma garantia que não existam surtos”, sublinhou o responsável, exemplificando com a situação se está a registar em Israel, que tem identificado…

0 Comments