You are currently viewing Maria João Abreu hospitalizada depois de sofrer aneurisma durante gravações de novela. Prognóstico é reservado

Maria João Abreu hospitalizada depois de sofrer aneurisma durante gravações de novela. Prognóstico é reservado

  • Post author:
  • Post category:notícias

Em comunicado, a SIC confirmou que Maria João Abreu “sofreu na sexta-feira, dia 30 de Abril, um aneurisma e está a ser acompanhada no Hospital Garcia de Orta”.

Maria João Abreu foi hospitalizada de urgência depois de sofrer um aneurisma na passada sexta-feira, 30 de abril. Segundo o Correio da Manhã, a atriz terá desmaiado durante as gravações da novela “A Serra” (SIC), depois de ter apresentado falhas no raciocínio e mal estar.

Em comunicado, a SIC confirmou que a atriz sobre um aneurisma na passada sexta-feira. “A atriz Maria João Abreu sofreu na sexta-feira, dia 30 de Abril, um aneurisma e está a ser acompanhada no Hospital Garcia de Orta. Toda a família agradece a preocupação e mensagens que tem recebido. Pedimos com carinho a todos, em especial à Comunicação Social, que nos permitam passar por este momento com a calma e privacidade necessárias para ajudar a Maria João Abreu a superar este desafio. Obrigado”, pode ler-se na nota enviada pelo canal.

“A SIC está a acompanhar a situação com a reserva que a mesma implica”, frisa o canal no site Fama Show. O prognóstico é reservado, adiantam várias publicações.

A revista TV Mais avança ainda que Maria João Abreu terá sido operada duas vezes, estando em coma. A atriz está internada no Hospital Garcia de Orta, em Almada, e o seu “estado é muito delicado”, segundo o Correio da Manhã.

Maria João Abreu estreou-se como atriz profissional em 1983, no musical “Annie”, de Armando Cortez, no Teatro Maria Matos. Seguiram-se vários espetáculos de revista no Parque Mayer, até participar, na “Casa da Comédia”.

“Uma Bomba Chamada Etelvina” (1988), da RTP, marcou a sua estreia no pequeno ecrã. “Canto Alegre” (RTP1, 1989), “Caixa Alta” (RTP1, 1989) ou “O Cacilheiro do Amor “(RTP1, 1990) foram os projetos que se seguiram.

Com a chegada do segundo canal privado, em fevereiro de 1993, Maria João Abreu mudou-se para a TVI. Na estação de Queluz de Baixo, fez parte do elenco de produções como “Cos(z)ido à Portuguesa” (1993), “Trapos e Companhia” (1994) e “Quem Casa Quer Casa” (1994).

Depois de um breve regresso à RTP1, em 1994 e 1995, a atriz estreou-se na SIC no “Big Show”. Em 1996, Maria João Abreu integrou o elenco de “Malucos do Riso” e de “Camilo e Filha Lda”.

No final dos anos 1990, participou ainda em “Vidas de Sal” (RTP1), “Não Há Duas Sem Três” (RTP1), “As Lições do Tonecas” (RTP1). Em 1998, vestiu a pele de Lucinda na série “Médico de Família”, da SIC, sendo uma das mais populares personagens da sua carreira.

“Amo-te Teresa” (SIC), “Jardins Proibidos” (TVI), “Aqui não há quem viva” (SIC), “Morangos com Açúcar” (TVI), “Casos da Vida” (TVI), “Ele é Ela” (TVI), “Sentimentos” (TVI), “Cidade Despida” (RTP1) e “Conta-me Como Foi” (RTP1) foram alguns dos trabalhos da atriz no pequeno ecrã na primeiro década dos anos 2000.

“Cidade Despida” (RTP1), “Espírito Indomável” (TVI), “Pai à Força” (RTP1), “Liberdade 21” (RTP1), “A Família mata” (SIC), “Mulheres de Abril” (RTP1), “Mar Salgado” (SIC), “Amor Maior” (SIC), “Paixão” (SIC) e “Golpe de Sorte” (SIC) foram outros dos projetos que integrou.

Atualmente, a atriz faz parte do elenco da novela “A Serra”, da SIC, onde veste a pele de Sãozinha.

Paralelamente à televisão, Maria João Abreu abraçou vários projetos no teatro, como “Toma Lá Revista!” (1987), “De Pernas Pró Ar!” (1994), “A Revista é Linda!” (2005), “As Árvores Morrem de Pé” (2016), “Simone – O Musical” (2017) e “Fenda” (2019).

Em 2019, protagonizou “Sonho de uma Noite de Verão”,  uma das obras mais conhecidas e adaptadas de William Shakespeare e que ganhou nova versão pelas mãos da Lisbon Film Orchestra. O musical juntou em palco, pela primeira vez, José Raposo, Maria João Abreu e filho Miguel Raposo.

“Mete medo. Eu não sou cantora, sou uma atriz que canta. Cantar com 16 elementos a tocar para mim… é terrível de bom. Saber que temos um maestro com tanta experiência, transmite confiança”, confessou em conversa com o SAPO Mag, antes da estreia do musical no Tivoli BBVA, em Lisboa.

Já no grande ecrã, Maria João Abreu fez parte do elenco de “Amo-te Teresa” (2000), “Telefona-me!” (2000), “Call Girl” (2017), “A Mãe é que Sabe” (2016) e “Submissão” (2019).

A atriz é casada com o músico João Soares e mãe de dois filhos, fruto do relacionamento com ator José Raposo, com quem esteve casada entre 1985 e 2008.

fonte: https://mag.sapo.pt/tv/atualidade-tv/artigos/maria-joao-abreu-hospitalizada-avanca-revista-atriz-esta-em-estado-grave

admin

Web Designer da Empresa GBC-BEAM.