protective suit, face mask, face shield-5716753.jpg

COVID-19: Mais 12 mortos e 2.554 infetados. Internamentos a descer

Os números foram revelados esta quinta-feira no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal regista esta quinta-feira mais 2.554 casos de COVID-19 e 12 óbitos associados à doença, segundo o último relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado hoje.

Desde o início da pandemia, morreram 17.613 pessoas com esta patologia em território nacional e foram identificados 1.012.125 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2.

De acordo com o último relatório oficial, registaram-se mais 2.238 casos de recuperação nas últimas 24 horas. Ao todo há 949.703 doentes recuperados da doença em Portugal desde março de 2020.

A região Norte é a área do país com mais novas notificações, num total de 36,5% dos diagnósticos.

O relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24h00 de ontem, indica que a região de Lisboa e Vale do Tejo é a que regista o maior número de mortes acumuladas relacionadas com o vírus SARS-CoV-2 com 7.533 (+6), seguida do Norte com 5.478 óbitos (+4), Centro (3.068, =) e Alentejo (1.004, =). Pelo menos 418 (+1) mortos foram registados no Algarve.

Há 40 (+1) mortes contabilizadas nos Açores. Na Madeira registam-se 72 óbitos (=) associados à doença.

Internamentos a descer

Em todo o território nacional, há 688 doentes internados, menos sete do que ontem, e 141 em unidades de cuidados intensivos (UCI), mais dois do que no dia anterior.

Imagem do boletim da DGS 19 de agosto de 2021
créditos: DGS

De acordo com o boletim da DGS sobre a situação epidemiológica, existem 44.809 casos ativos da infeção em Portugal — mais 304 do que ontem — e 50.709 pessoas em vigilância pelas autoridades — menos 304 do que no dia anterior.

A região de Lisboa e Vale do Tejo é a área do país com maior número de infeções acumuladas, com 394.781 (+794), seguida da região Norte (389.972, +931), da região Centro (134.612, +339), do Alentejo (35.861, +125) e do Algarve (37.297, +279).

Nos Açores existem 8.310 casos contabilizados (+38) e na Madeira 11.292 (+48).

O que nos diz a matriz de risco?

Matriz de risco 19 de agosto de 2021
créditos: DGS

Portugal apresenta uma incidência de 314,6 casos de infeção por SARS-CoV-2/COVID-19 por cada 100.000 habitantes – ligeiramente superior aos 314,5 casos de há dois dias – e um índice médio de transmissibilidade R(t) nacional de 0,98, superior aos 0,96 de segunda-feira.

No território continental, o R(t) também se fixou nos 0,98. A DGS atualiza estes dados à segundas, quartas e sexta-feiras.

Faixas etárias mais afetadas

O maior número de óbitos concentra-se entre as pessoas com mais de 80 anos, com 11.509 (+7) registadas desde o início da pandemia, seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (3.775 +3), entre 60 e 69 anos (1.597 +1) entre 50 e 59 anos (498 = ), 40 e 49 anos (171 +1) e entre 30 e 39 anos (45 = ).

Há ainda 13 mortes (=) registadas entre os 20 e os 29 anos, duas (=) entre os 10 e os 19 anos e três (=) entre os 0 e os 9 anos.

Os dados indicam que, do total das vítimas mortais, 9.248 são do sexo masculino e 8.365 do feminino.

A faixa etária entre os 40 e os 49 anos é a que tem maior incidência de casos, contabilizando-se um total de 164.538 (+278), seguida da faixa etária dos 20 aos 29 anos, com 161.869 infeções (+743), e da faixa etária dos 30 aos 39 anos, com 149.760 casos (+345). Logo depois, surge a faixa etária entre os 50 e os 59 anos, com 140.176 infeções reportadas (+210).

A faixa etária entre os 10 e os 19 anos tem 105.513 (+498) e entre os 60 e os 69 anos soma 94.952 (+146).
Desde o início da pandemia, houve 466.084 homens infetados e 545.320 mulheres, sendo que se desconhece o género de 721 pessoas.

Balanço mundial

A pandemia de covid-19 já fez pelo menos 4.392.364 mortos em todo o mundo desde que a doença foi detetada na China, em dezembro de 2019, segundo o balanço efetuado pela AFP com base em dados oficiais.

Mais de 209.192.770 casos de infeção foram diagnosticados desde o início da pandemia.

Estes valores têm como base os balanços oficiais comunicados diariamente pelas autoridades de cada país, mas excluem as revisões realizadas posteriormente por alguns organismos responsáveis pela elaboração de estatísticas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), tendo em conta a mortalidade, direta e indireta, ligada à covid-19, estima que o balanço da pandemia possa ser duas ou três vezes superior ao que está a ser oficialmente publicado.

Um número significativo dos casos menos graves ou assintomáticos continuam por detetar apesar do incremento dos métodos de despistagem desenvolvidos em vários países.

Nas últimas 24 horas, registaram-se mais 9.752 mortes e 678.470 novos contágios em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes nos relatórios mais recentes foram a Indonésia, com mais 1.492 mortes, o Brasil (1064) e o México (940).

Os Estados Unidos são o país mais afetado tanto em número de mortes e como de infeções, com um total de 624.253 mortes e 37.155.209 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 571.662 mortes e 20.457.897 casos, a Índia, com 433.049 mortes (32.322.258 casos), o México, com 250.469 mortes (3.152.205 casos) e o Peru, com 197.659 mortes (2.137.295 casos).

Entre os países mais afetados, o Peru é o que regista o maior número de mortes em relação à população, com 599 mortes por cada 100.000 habitantes, seguido da Hungria (311), Bósnia (296), República Checa (284), Brasil (269) e Macedónia do Norte (268).

A América Latina e Caraíbas contabilizam um total de 1.413.850 mortes e 42.353.426 casos, a Europa 1.227.474 mortes (61.179.475 casos), a Ásia 740.093 mortes (48.017.700 casos), os Estados Unidos e Canadá 651.011 mortes (38.613.947 casos), a África 186.486 mortes (7.377.230 casos), o Médio Oriente 171.849 mortes (11.547.970 casos) e a Oceânia 1.601 mortes (103.029 casos).

Este balanço foi realizado com base em dados recolhidos pelas delegações da France Presse (AFP) junto das respetivas autoridades nacionais competentes e informações da OMS.

Devido às correções efetuadas pelas autoridades ou à publicação tardia dos dados, os números do aumento em 24 horas podem não corresponder exatamente aos que foram publicados no dia anterior.

fonte: https://lifestyle.sapo.pt/saude/noticias-saude/artigos/covid-19-mais-12-mortos-e-2-554-infetados-internamentos-a-descer

admin

Web Designer da Empresa GBC-BEAM.